Avaliação: Focus 2.0 Duratec

By -

Rápido e potente
Motor forte, acabamento requintado e excelente dirigibilidade, são algumas das qualidades deste hatch da Ford que no Brasil substituiu o Escort
Texto: Edison Ragassi
Fotos: Alexandre Andrade
Desenvolvido na Europa e lançado em 1.998, o Ford Focus foi apresentado ao público brasileiro no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo do ano 2000.
Aqui o modelo causou furor entre os jornalistas da imprensa especializada. Recebeu vários elogios por ostentar linhas arrojadas e frente New Edge. Na versão hatch, as lanternas traseiras acopladas na parte superior do veículo, e os detalhes de acabamento interno. Fabricado na Argentina, o carro chegou com a missão de substituir um dos produtos de maior sucesso em vendas da montadora norte-americana o Ford Escort.
O Focus ano 2000, modelo 2001 oferecia duas opções de motorização: 1.8 16v (115 cv) e 2.0 16v (130 cv).
Em outubro de 2003 foi mostrada a linha 2004, onde o carro recebeu mudanças no desenho dos faróis, grade do radiador, pára-choques, faróis de neblina, piscas laterais, rodas, calotas e um novo coração, o motor 1.6L 8v Zetec Rocan (mesmo do Fiesta) desenvolvido no Brasil e fabricado em Taubaté (SP).
Internamente, recebeu novo mostrador do painel de instrumentos, com fundo em tom grafite e o inserto central em três cores: preta nas versões 1.6 L e 1.8 L, prata no 2.0 L GLX e padrão madeira no 2.0 L Ghia.
Ainda a lista de equipamentos opcionais de segurança foi ampliada com os itens: airbag de duplo estágio, travamento automático das portas, alarme antifurto e vidros elétricos com temporizador.
Já em 2004, por questões estratégicas, saiu de cena o propulsor 1.8L 16v e em junho de 2005 chegou o 2.0L 16v Duratec, o mesmo usado no EcoSport.

Produzido com bloco, cabeçote e mancais de alumínio, o Duratec desenvolve 147 cv com câmbio manual e, um pouco menos equipado com transmissão automática, ou seja, 140 cv.
É um dos mais fortes da categoria, já que o Astra 2.0L Flexpower oferece 121 cv, o Golf 2.0L 116 cv, o Stilo 1.8L 16v 122 cv, e o Peugeot 307 com 143 cv. Perde para o Stilo Abarth com 162 cv, porém o modelo da Fiat usa propulsor 2.4L de cinco cilindros.
Para esta matéria testamos a versão Guia, carroceria hatch, topo de linha equipada com câmbio automático.
A fábrica localizada em São Bernardo do Campo, no bairro do Taboão, local da retirada do veículo, é próxima a Rodovia Anchieta.
E aí é difícil resistir a uma esticada, até o bairro do Riacho Grande. Na Anchieta a velocidade máxima é de 110 km/h, o que para o Focus é fácil de atingir. Também foi possível testar os comandos do controlador de velocidade, aconados no volante. Ele é preciso, e muito cômodo de aumentar ou diminuir a velocidade manualmente.
A reação no arranque não é tão rápida quanto a do modelo equipado com câmbio manual, mas mesmo assim, corresponde da maneira positiva em uma saída do acostamento, ou arranque após parar no semáforo.
Nesta avaliação, no total foram 730 km rodados, onde alternei o uso em rodovias e ruas da cidade de São Paulo.
Com o trânsito carregado, é possível desfrutar da boa ergonomia do assento, que acomoda o motorista de maneira confortável. O ar-condicionado digital oferece várias opções para regulagem de temperatura e ventilação.
Nos primeiros quilômetros, é um pouco estranho usar o comando de som, que está no lado esquerdo da coluna do volante, pois em modelos de outras marcas, geralmente o equipamento esta no lado direito.
As manobras de estacionamento acontecem de maneira fácil, e apesar da inclinação do vidro traseiro, a visão é boa.
Mas se fosse possível escolher, o Focus Duratec seria utilizado só em rodovias, pois o propulsor é forte com muito fôlego para ultrapassagens e retomadas.
Por ter uma configuração esportiva, a suspensão é um pouco mais dura, porém as rodas em liga leve, calçadas com pneus 195/60 R15, absorvem bem eventuais impactos causados por imperfeições no asfalto.
Chamada FN, a transmissão de três velocidades à frente mais overdrive, é produzida pela montadora nos Estados Unidos e usada nos produtos fabricados mundialmente.
Este equipamento foi decisivo para que a empresária Sueli Barciella adquiri-se o Focus 2.0 Duratec GLX. “Eu uso o carro constantemente e queria um veículo automático, porque dirigir no trânsito de São Paulo é muito cansativo”, comenta.
As condições oferecidas na negociação e o preço final, também foram mais vantajosos, do que os oferecidos por concessionárias de outras marcas, “antes de finalizar a compra, testei outros modelos, pesquisei, e a melhor condição foi da concessionária Ford”, lembra Sueli.
Depois de comprar ela avalia o carro de maneira positiva, “no uso diário é muito bom, tem excelente desempenho, tanto nas ruas da cidade, quanto na rodovia, o motor é forte e exige cuidado para não ultrapassar a velocidade permitida”, diz ela.
Até a compra do Focus, ela só teve carros com câmbio manual, “depois de usar o automático constatei que é mais cômodo, e menos cansativo dirigir no trânsito caótico como o nosso”, constata.
Os detalhes de acabamento também agradam, mas ela considera o Focus um carro com perfil masculino, “poderia ter mais porta-objetos, mulher adora espaço para guardar coisas”, sugere e elogia o sistema de som, “o design foi bem projetado, e não chama a atenção, até parece que o carro não tem sistema de som”.
Sueli também fala que o Focus apresentou alguns problemas, “quando comprei o carro saiu da concessionária sem funcionar o ar-condicionado, depois apareceram barulhos na tampa traseira e porta do passageiro, e recentemente fui convocada para um recall de uma peça do sistema de freio”, lembra.
Segundo a empresa em comunicado divulgado para a imprensa e no Site oficial: “Devido a uma não conformidade no processo de soldagem, no fornecedor, existe a possibilidade de ocorrência de trinca ou ruptura na válvula do tubo de vácuo do servo-freio. Embora não haja risco de perda total da capacidade de frenagem do veículo, nessa hipótese, será necessário um esforço adicional no acionamento do pedal do freio para garantir a eficiência normal do sistema”. Este recall é para os modelos do Focus, fabricados entre 04/08/2003 e 17/05/2005, abrangidos pelos chassis 2004 4J320123 a 4J373281 2005 5J371774 a 5J432059.
Mas a empresária enfrentou problemas na concessionária, para realizar o serviço, “marquei a entrada na oficina, mas na data estipulada a peça ainda não estava disponível, precisei esperar, e por tratar-se de um item do sistema de freio fiquei com receio”.
Quanto aos barulhos ela não teve solução, “os técnicos disseram que era só ajustar a tampa, mas depois, realizado o serviço, passa uma semana e o barulho volta”, reclama Sueli.
O 2.0L Duratec automático tem preço sugerido, com acabamento Ghia topo de linha, de R$ 67.910.
Motor testado e aprovado em competições
A Formula Ford na Inglaterra é conhecida dos brasileiros por ser uma categoria de entrada, e onde competiu Ayrton Senna quando começou sua trajetória de sucesso no automobilismo mundial.
Nesta temporada, a competição conta com um jovem piloto brasileiro, Adriano Buzaid, 18 anos. Ele já venceu uma etapa e até o fechamento desta edição sustentava a oitava posição no campeonato. O motor de seu monoposto é um Duratec 1.6L, especial para competição. Possui 152 cv de potência, antes a versão utilizada na categoria era o propulsor Zetec. Segundo o piloto que falou com exclusividade à Vendo Autos, “o motor Zetec de competição é 40 kg mais pesado e 1.8L.O Duratec 1.6L é mais rápido de 1,5s a 2,0s por volta, dependendo da pista”. Ele também fala das vantagens em competir com o Duratec, “é super desenvolvido e muito mais potente do que o antigo Zetec”.
E como Adriano conhece o propulsor Duratec usado no Focus vendido no Brasil, sugere que os engenheiros: “poderiam melhorar um pouco mais o torque”.
Ficha técnica Focus 2.0L Duratec automático
Motor: Duratec 2.0L 16V, dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, injeção eletrônica,
Cilindrada: 1.999 cm³
Taxa de Compressão: 10:1
Potência: 140cv/6.000 rpm
Torque: 19 kgfm/4.250 rpm
Alto torque em baixa rotação (80% torque max/ 1.500 rpm)
Direção: tipo pinhão e cremalheira, servo-assistida
Diâmetro máximo de esterçamento (m): 10,0
Suspensão:
Dianteira: tipo McPherson, independente, com braços em A inferiores e buchas horizontais, montados em quadro auxiliar. Molas helicoidais com compensação de carga lateral e amortecedores pressurizados com “stop” hidráulico. Barra estabilizadora de 18mm independente, com buchas antideslizantes. Isolação do amortecedor “dual path”
Traseira: tipo “multi-link”, com molas helicoidais e amortecedores telescópios pressurizados.
Freios
Dianteiro: Hidráulico com freio a disco
Traseiro: Tambor auto-ajustável (disco opcional com ABS)
Atuação: Cilindro-mestre em circuito diagonal X, atuador (booster) com 9″ de diâmetro
Rodas: 15″ liga leve
Pneus: 195/60R15
Dimensões
Comprimento: 4.174 mm
Largura: 1.998 mm
Altura: 1.491mm
Capacidades
Nº passageiros: 5
Porta-malas: 350L/712L (rebatido)
Tanque de combustível: 55L

autoagora

13 Comentários to Avaliação: Focus 2.0 Duratec

  1. Sou dono de um Focus Sedan GLX 2.0 Automático e realmente é um carrão! Responde bem aceleracoes e o bicho corre.. corre muito! O acabamento é muito bom, painel fácil de ver e o banco do motorista é perfeito. o consumo também eh bom para um carro 2.0, cerca de 7 na cidade. eu recomendo e estou muito feliz em acelerar esse canhão!!!

  2. César, confirmei com a Ford a taxa de compressão deste motor Zetecé: 10,0:1.
    Obrigado pela atenção, e se gostou do Blog espalhe pros amigos. Dá próxima vez, além de postar o comentário me envia um e-mail, assim te respondo mais rápido.

  3. olá amigos, comprei recentemente um focus sedan 2004/05 ghia automatico, só que o carro está falhando muito principalmente em altas velocidades a sensação é que está cortando o combustivel, só que já troquei filtro, bomba, velas e cabos e continua do mesmo jeito. se alguem poder me da uma luz agradeço.

  4. Alvaro Conte-Jaboticabal-SP(16-32029078)

    Tenho um Focus Sedan. Precisei trocar o motor. O motor novo 2.0 16 v, ano 2009, ficou montado novo sem funcionamento até agora. Acontece que ao tentar funcioná-lo nao consigo. O mesmo nao apresenta comprensão nenhuma e portanto nao pega. Gostaria de saber também a posição da polia externa da correia lisa, uma vez que existe uma posição do ponto e sensor, mas não conheço. Gostaria de contar com ajuda do caro colega. Obrigado

  5. Alvaro Conte-Jaboticabal-SP(16-32029078)

    Tenho um Focus Sedan. Precisei trocar o motor. O motor novo 2.0 16 v, ano 2009, ficou montado novo sem funcionamento até agora. Acontece que ao tentar funcioná-lo nao consigo. O mesmo nao apresenta comprensão nenhuma e portanto nao pega. Gostaria de saber também a posição da polia externa da correia lisa, uma vez que existe uma posição do ponto e sensor, mas não conheço. Gostaria de contar com ajuda do caro colega. Obrigado

  6. Tenho um focus 2006 16v automático é um ótimo carro, porém, estou com um grande problema já troquei 4 vezes a bomba de gasolina e o copo, bico injetor e marcador de combustível, porque quando o tanque de combustível esta na metade o carro não anda, falha e chega até mesmo desligar, isto tem me trazido um grande transtorno, alguem pode me ajudar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *