Randon apresentou queda em 2012

By -

Randon_Veiculos_BAIXA

O encolhimento do mercado, baixa procura por caminhões, dificuldades nas linhas de créditos, são alguns dos motivos que levaram a diminuir o faturamento do grupo

Por: Edison Ragassi

A Randon S.A Implementos e Participações, fechou o ano de 2012 com receita bruta total de R$ 5,3 bilhões, o que representa queda de 16,2% , ao comparar com 2011 (R$ 6,4 bilhões). Os resultados foram apresentados para a imprensa especializada na cidade de Caxias do Sul (RS), dia 28 de fevereiro.

Segundo os executivos da empresa isso ocorreu por causa do fraco avanço da economia brasileira, reduzida previsibilidade da demanda por produtos da Companhia, dificuldade dos agentes na adaptação às mudanças nas condições de financiamento da linha de crédito mais solicitada pelo mercado e maior rigidez na análise de crédito, além da queda acentuada na produção nacional de caminhões por conta da transição da motorização para a tecnologia EURO V (Proconve 7).

JOST_BAIXAO segmento de autopeças, onde o Grupo atua com as empresas Castertech, Fras-le, JOST Brasil, Master e Suspensys, foi o responsável por 44,9% das vendas líquidas consolidadas, com receita de R$ 1,5 bilhão em 2012 (R$ 2 bilhões em 2011).

As operações instaladas no exterior tiveram destaque positivo, a unidade de veículos rebocados na Argentina obteve receita bruta de US$ 44,4 milhões. As unidades controladas pela Fras-le na China, nos EUA e na Argentina, obtiveram, respectivamente, receita bruta de US$ 13,2 milhões, US$ 22,4 milhões e US$ 36,3 milhões. Já os demais centros de distribuição e escritórios comerciais da Fras-le atingiram faturamento de US$ 5,6 milhões. Somadas, essas receitas compõem um valor de US$ 121,9 milhões, contra US$ 108,5 milhões em 2011, o que representa crescimento de 12%.

Fras-le_BAIXA

Apesar dos problemas enfrentados no ano passado, a expectativa é de retomada no crescimento. “2013 se inicia em intensa atividade. Safra recorde, mais investimentos públicos e elevação dos investimentos privados serão vetores importantes à elevação da demanda por veículos comerciais no ano”, avaliou o presidente das Empresas Randon, David Abramo Randon, a expectativa é retomar o ritmo com incremento superior a 15% em receitas e recuperação de margens.

autoagora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *