Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Avaliação: Volvo XC40 T5 R-Design Plug-in Hybrid
Avaliação: Volvo XC40 T5 R-Design Plug-in Hybrid
05/10/2020
Avaliação: Chevrolet Joy Plus o sedã de entrada
Avaliação: Chevrolet Joy Plus o sedã de entrada
27/10/2020
Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex/ Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex/ Foto: Saulo Mazzoni

Sedã médio tem visual moderno, ótimo espaço para os ocupantes e bagagens, gasta pouco combustível, mesmo abastecido com etanol e tem bom desempenho

O sedã Toyota Corolla figura entre os veículos mais vendidos do mundo. Apesar de ser um modelo global, a fabricante japonesa implanta soluções regionais em seus automóveis nos mercados que atua. Aqui Brasil, por exemplo, esta solução regional chegou no Toyota Corolla 2007 Flex, ou seja, o motor que aceita etanol, gasolina ou a mistura dos dois em qualquer proporção.

E as evoluções não pararam, em setembro de 2019, quando lançou a 12ª geração do sedã, incluiu no mix de produtos o Toyota Corolla Hibrido Flex, ou seja, o primeiro automóvel com motor a combustão e elétrico que aceita dois tipos de combustíveis ou a mistura dos dois.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Faróis com assinatura em LED, os frisos unem o conjunto/ Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, visual futurista

Conhecida por imprimir linhas clássicas em seus modelos, a Toyota saiu do comum. Isso porque, os designers imprimiram um visual futurista no Corolla de 12º geração. O capô tem vincos nas extremidades e no centro que formam um V. Já os faróis são no formato de um L com luzes em LED na parte inferior. Os frisos cromados unem os conjuntos óticos e no centro o símbolo da marca. O para-choque é na cor do veículo, a grande grade preta está no centro. Nas extremidades ressaltos e abaixo as luzes de neblina.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Comparado a geração anterior, poucas mudanças na lateral/ Foto: Saulo Mazzoni

No entanto, comparado ao Corolla de 11ª geração, as laterais receberam poucas mudanças. O vinco superior inicia no para-lama dianteiro, passa pelas maçanetas e termina no para-lama traseiro, há também um vinco na parte inferior da porta. As rodas são em liga-leve 17 polegadas e os pneus 225/45 R17.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Na traseira lanternas que invadem a tampa/ Foto: Saulo Mazzoni

A traseira é arredondada. Mas as lanternas não, pois também são em formato de L. Elas avançam para a tampa do porta-malas. Para uni-las, há um friso cromado na parte inferior. O para-choque é na mesma cor do carro, e semelhante ao para-choque dianteiro, as extremidades são ressaltadas. Abaixo dois refletores nas extremidades do para-choque e a ponteira do escapamento está virada para o solo.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Nesta avaliação do Toyota Corolla Altis Hibrido Flex vale ressaltar que em dimensões ele tem altura de 1,4 m, seu comprimento é de 4,6 m. A largura é de 1,7 m e a distância entre-eixos é a mesma do modelo da geração anterior, ou seja, 2,7 m. Foi mantida também a capacidade volumétrica do porta-malas, ou seja, 470 litros. Os bancos são rebatíveis, o que aumenta a capacidade do compartimento.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, interior clássico e confortável

No interior o material do painel é sensível ao toque. Já o quadro de instrumentos digital tem uma tela TFT de 7 polegadas colorida. No centro do painel o velocímetro com grafia analógica. Há as informações do computador de bordo e pode ser colocada a velocidade digital. Do lado esquerdo, no lugar do conta-giros tradicional, um mostrador do modo hibrido. O volante de três raios é multifuncional com ajuste de altura e profundidade. Os bancos são revestidos em couro preto.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

No painel materiais sensíveis ao toque, o painel é digital/ Foto: Saulo Mazzoni

O multimídia com tela sensível tem os sistemas Android Auto e Apple CarPlay. Nele é possível verificar também como o sistema hibrido atua, sendo assim, mostra quando a bateria é carregada, o motor elétrico entra em funcionamento, e assim por diante. Também oferece um computador de bordo, o qual mostra como o motorista gasta ou não combustível, entre outras informações. Os bancos são revestidos em couro e não há saída de ar para os ocupantes dos assentos traseiros.

Motor a combustão interna passou por modificações para ser Flex/ Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, motores e câmbio

O Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, tem o motor 1.8L de ciclo Atkinson, utilizado em outros mercados movido a gasolina. Ele foi modificado para receber álcool,  gasolina ou a mistura dos dois em qualquer proporção. A Toyota realizou o desenvolvimento conjuntamente com a engenharia brasileira e japonesa. Ele recebeu sistema de aquecimento do álcool para partida a frio, ou seja, do tipo flauta aquecida, não tem o tanquinho de gasolina. Trocaram as sedes das válvulas por material resistente ao etanol. Recalibraram o sistema de controle do motor. Também trocaram o catalisador e os bicos injetores e todo o sistema de combustível, composto por tanque, bomba de combustível, filtros de linha e tubulações. Portanto, todos estes componentes foram preparados para receber o álcool combustível. Como o motor de ciclo Atkinson trabalha com taxa de compressão alta (13:1), ela não foi modificada.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Para receber, álcool, gasolina ou a mistura dos dois, várias modificações foram feitas, inclusive no catalisador/ Foto: Saulo Mazzoni

O Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, ele utiliza dois motores elétricos. Por causa do sistema Flex, o programa para partidas a frio foi reajustado. Sendo assim, com temperaturas abaixo de 15 °C, quando o motor a combustão utilizar misturas superiores a 85% de etanol, o motor a combustão é acionado e o sistema de desligamento automático (Start-Stop) é desativado até que a temperatura do motor e do lubrificante estejam nas condições ideais. Isso porque, com a temperatura baixa e mais etanol no tanque, o sistema de injeção aumenta a quantidade de combustível para evitar que o motor desligue. Se o sistema Start-Stop estiver acionado, uma eventual parada pode fazer com que a maior quantidade de combustível não queimado desça ao cárter, contamine o lubrificante e eventualmente sature o sistema de blow-by, o que pode confundir os sensores do veículo.

A potência do motor a combustão é de 101 cv (E)/ 98 cv (G) a 5.200 rpm e 14,5 kgfm de torque. Os motores elétricos têm 72 cv e 16,6 kgfm, o que confere uma potência combinada de 123 cv. Nesta Avaliação do Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, é bom ressaltar que, os motores elétricos não estão posicionados nas rodas, por isso, as duas potências não devem ser somadas para obter a total.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Toyota Corolla com o câmbio Hybrid Transaxle/ Foto: Saulo Mazzoni

O motor está acoplado ao novo câmbio denominado Hybrid Transaxle. Ele não utiliza correias e polias como em um câmbio CVT convencional. Sua estrutura é formada por um conjunto de engrenagens e planetária. Há uma marcha para frente, outra para a ré e de freio motor (B). O efeito das relações contínuas acontece por causa do movimento relativo entre o motor a combustão e os motores elétricos. No conjunto há um redutor com um dispositivo de divisão de potência. Ele comuta o fornecimento de potência entre o motor a combustão e os elétricos.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Bateria colocada na parte traseira/ Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, sistema elétrico

Como já citado anteriormente, o Toyota Corolla Altis Hibrido Flex tem dois motores elétricos. Eles são alimentados pela bateria híbrida de níquel-hidreto metálico. Ela está localizada embaixo do banco traseiro. Esta localização contribuiu para a redução do centro de gravidade e aprimorou a estabilidade na condução do veículo. Não se trata de um hibrido plug-in, ou seja, não há opção de recarregar a bateria na tomada. O carregamento ocorre durante a condução do veículo e também durante as frenagens, pois o sistema de freios é regenerativo. Ele acumula a energia cinética gerada nas frenagens e a transforma em energia elétrica, o que alimenta a bateria híbrida.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, consumo de combustível

Os dados de consumo de combustível validos pelo INMETRO, no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular mostram que, o Toyota Corolla híbrido Flex consome 14,5 km/L na estrada e 16,3 km/L na cidade ao ser abastecido com gasolina. Ao utilizar etanol, o Toyota Corolla híbrido Flex consome 9,9 km/L na estrada e 10,9 km/L na cidade. Nesta avaliação do Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, ele foi entregue abastecido com 100% Etanol e utilizado com o ar-condicionado ligado no modo Eco. Sendo assim, obtivemos média de 16,3 km/L na cidade e 14 km/L na estrada. Esta diferença entre os números oficiais e os obtidos por autoagora.com.br ocorre porque o consumo de combustível sofre influência de acordo com que o motorista utiliza o carro, temperatura ambiente, entre outros fatores.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex/ Impressões ao dirigir

Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, impressões ao dirigir

As mudanças feitas pela Toyota no sedã médio foram de bom gosto. O visual externo é moderno, mas mantiveram o estilo clássico e confortável no interior. O painel de instrumentos é de fácil visualização, os detalhes de grafia colorida o deixaram com melhor visualização. Os comandos no volante também são fáceis de utilizar, porém, há várias informações e o motorista precisa se acostumar a visualizá-las.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Volante multifuncional e painel de instrumentos com tela TFT/ Foto: Saulo Mazzoni

    Feitos os devidos ajustes no banco, a regulagem é manual, já os espelhos têm a regulagem elétrica, o próximo passo é acionar o motor. Aqui vale ressaltar que todas as versões têm o botão de acionamento, pois foi abolida a chave. Como na primeira partida a temperatura estava acima dos 15º entra em ação o motor elétrico, ou seja, sem nenhum ruído. Ao acelerar, o arranque é forte, mas não é necessário pressionar demais o pedal do acelerador. Um leve toque é suficiente para tirar o Corolla da situação estacionária. Depois disso, enquanto ele é movido pelos motores elétricos não há ruídos, o sedã parece que está desligado. Graças ao bom isolamento acústico, ao entrar o motor a combustão, o ruído é mínimo. Bem calibrada, a direção elétrica progressiva é macia nas manobras de estacionamento e segura, firme ao entrar em uma curva fechada. Na cidade, ao realizar uma manobra de estacionamento, os espelhos retrovisores oferecem boa visualização, e a câmera de ré e os sensores são ótimos auxiliares.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex/Impressões ao dirigir

Na rodovia o motor elétrico é utilizado em velocidade média de 100 km/h- Foto: Saulo Mazzoni

Já na rodovia, onde o motor a combustão é utilizado constantemente, o motorista não enfrenta problemas com acelerações e retomadas. Em relação ao modelo da geração anterior, o Toyota Corolla ficou melhor em dirigibilidade. O sedã médio atual recebeu a suspensão traseira independente do tipo multibraço.

Para melhor aproveitamento energético, o motorista não deve deixar o carro fazer tudo sozinho. Eu explico.  Por exemplo, no console há botão que aciona o modo EV. Com a bateria carregada, ao apertar o botão EV ele é movido apenas pelos motores elétricos. È um dispositivo muito útil no anda e para do trânsito, vai ajudar a consumir bem menos combustível.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Foto: Saulo Mazzoni

Ele pode ser utilizado também na rodovia. Durante a avaliação foi possível rodar com o EV acionado na velocidade de 100 km/h. Outra opção para recuperar energia é em trechos como uma descida de serra, colocar a alavanca na posição B. Esta função é semelhante a de um freio motor e aproveita a energia gerada para carregar a bateria.

Está mais confortável para os ocupantes, ao passar por lombadas, buracos e valetas. E também está mais estável nas curvas, ganhou muito em estabilidade.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, preço, itens de série e opcionais

O Toyota Corolla Altis Hibrido Flex tem preço sugerido de R$ 140.690. Entre os itens de série estão os faróis dianteiros em LED. Outra novidade incluída no Corolla desta geração é o pacote de segurança ativa Toyota Safety Sense. Ele traz sistemas semiautônomos como o alerta de mudança de faixa, controle de velocidade de cruzeiro adaptativo, farol alto automático e assistente de pré-colisão com alerta sonoro e visual e frenagem automática. Os comandos são controlados no volante multifuncional.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay/ Foto: Divulgação

O sistema de áudio central tem o multimídia Toyota Play com tela sensível ao toque de 8″, rádio AM/FM, função MP3, entrada USB, Bluetooth, conexão para smartphones e tablets através do espelhamento Android Auto, Apple CarPlay, SDL. Entre os sistemas de segurança e auxilio ao motorista e ocupantes figuram os air bags de joelho, dois frontais, dois laterais e de cortina. Há o controle eletrônico de estabilidade (VSC), controle eletrônico de tração (TRC), sistema de assistência ao arranque em subida (HAC) e sistema ISOFIX para fixação de cadeirinhas infantis no banco traseiro. O ar-condicionado é digital de uma zona.

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, rodas 17″ de série/ Foto: Saulo Mazzoni

Com preço sugerido de R$ 148.390, o Corolla Altis Hybrid Premium traz a mais o ar-condicionado automático de duas zonas, banco do motorista com regulagem elétrica (altura, distância, inclinação ou altura com distância). Também tem os espelhos retrovisores externos eletro-retráteis com regulagem elétrica e rebatimento automático ao fechar o veículo, teto solar elétrico, limpador do para-brisa com sensor de chuva e faróis e lanternas traseiras em LED.

As cores disponíveis para toda a linha Corolla são: Branco Polar (sólida, sem custo), Branco Perolizado (R$ 2.250,00), além das cores metálicas: Preto Eclipse, Prata Supernova, Vermelho Granada, Marrom Urban e a Cinza Celestial (R$ 1.950,00).

No mês de setembro, o novo Toyota Corolla completou um ano no mercado brasileiro. Sendo assim, neste período, consolidou-se como líder do segmento de sedãs médios com 50% de participação. Segundo a Toyota, mais de 42 mil unidades foram comercializadas, sendo que, aproximadamente 10 mil unidades, são do Toyota Corolla Altis Hibrido Flex.

Para finalizar, a Toyota entrou este ano na maior categoria de carros turismo do Brasil, a Stock Car com novo Corolla preparado para competições. Ao final da etapa de Londrina (PR), Quatro dos oito pilotos que correm com o Corolla ocupam as primeiras posições da classificação geral da competição.

Por: Edison Ragassi/ Fotos: Saulo Mazzoni

Avaliação: Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Toyota Corolla Altis Hibrido Flex, um automóvel com visual futurista, mas com um toque clássico/Foto: Saulo Mazzoni

Ficha técnica Toyota Corolla Altis Hibrido Flex

Motor a combustão

Tipo: Dianteiro transversal 1.8L VVT-i

Numero de cilindros: 4 em linha

Válvulas: 16V DOHC

Taxa de compressão: 13:1

Potência: 116 cv (E/G) a 5.500 rpm

Torque: 16,3 kgfm (G)/ 16,8 kgfm (E) a 2.000 rpm

Câmbio

Tipo: Automático

Freios

Dianteiros: Discos ventilados

Traseiros: Discos sólidos

Direção: Eletro assistida progressiva

Suspensões

Dianteira: Independente tipo McPherson

Traseira: Independente, multibraço

Rodas: Liga leve17″

Pneus: 225/45 R17

Dimensões

Comprimento: 4.630mm

Distância entre-eixos: 2.700 mm

Largura: 2.079 mm

Altura: 1.455 mm

Capacidades

Porta-malas: 470 L

Tanque de combustível: 43 litros    

4 Comments

  1. Laura disse:

    Bela matéria enriquecida por ótimas fotos!

  2. Angelo Arthur Mancinelli disse:

    Boa matéria, belas fotos, ótimos carros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *