Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: Fiat Argo Drive 1.0 S-Design 2021
Avaliação: Fiat Argo Drive 1.0 S-Design 2021
31/05/2021
Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo / Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo/ Foto: Saulo Mazzoni

Sedã esportivo acelera forte tem excelente espaço interno e capacidade de porta-malas

Lançado em fevereiro de 2020, o sedã esportivo VW Virtus GTS, chegou para atender quem tem a necessidade de um carro espaçoso, mas não gosta de reações lentas. Além disso, trouxe de volta a mítica sigla GTS, sobre a qual falaremos mais a frente.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Sedã esportivo VW Virtus GTS Turbo, faróis e para-choque exclusivo da versão/ Foto: Saulo Mazzoni

O visual do sedã esportivo VW Virtus GTS é diferente do Virtus convencional. Na dianteira ele tem os novos faróis em Full LED com frisos vermelhos e cromados. A grade do radiador é do tipo colmeia com o logotipo GTS e um filete vermelho que liga os dois faróis. O para-choque também é novo, com uma moldura inferior na cor preta e as luzes de neblina nas extremidades.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

VW Virtus GTS Turbo, as rodas originais são de 17 polegadas/ Foto: Saulo Mazzoni

Nas laterais, a área envidraçada do VW Virtus GTS Turbo têm as molduras e colunas das portas na cor preta, assim como a capa dos retrovisores, eles são com as lâmpadas repetidoras. Os vincos começam nas pontas superiores dos faróis, avançam por cima das maçanetas e terminam no aerofólio do porta-malas. Uma placa com a sigla GTS está no para-lama com a ponta que e avança para a porta. Outro vinco começa nos para-lamas, segue acima das maçanetas e termina nas postas das lanternas, as quais invadem as laterais. As partes inferiores das portas também são vincadas. E as rodas de liga leve 17 polegadas com desenho exclusivo, são calçadas com pneus 205/50 R17.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, lanternas em LED, que avançam para a tampa do porta-malas/ Foto: Saulo Mazzoni

Já a parte traseira, ao observar a partir do teto, nota-se a antena, o vidro é retangular e inclinado. As lanternas em LED são bipartidas, ou seja, saem das colunas e invadem a tampa do porta-malas. Na parte superior da tampa um pequeno aerofólio e no centro o símbolo VW. Chama a atenção o fato de ostentar a sigla GTS do lado esquerdo, mas não há a identificação Virtus do lado direito. O para-choque traseiro é na cor da carroceria, com uma pequena moldura inferior na cor preta para reforçar a esportividade.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

VW Virtus GTS Turbo, painel de instrumentos digital e detalhes em vermelho / Foto: Saulo Mazzoni

No interior do VW Virtus GTS, detalhes que remetem a esportividade. O painel traz as saídas de ar com frisos vermelhos. O quadro de instrumentos é 100% digital (Active Info Display) com várias configurações visuais e iluminação vermelha. Uma das opções mostra o velocímetro e conta-giros com visual de analógico e na grafia frisos vermelhos.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

VW Virtus GTS, tela do multimídia colorida e suporte para celular / Foto: Saulo Mazzoni

A tela do multimídia está no centro, ela é colorida de 8 polegadas sensível ao toque. A navegação é por GPS nativo, porém traz o App-Connect e comando por voz, além disso, é compatível com Android Auto e Apple Carplay, conectados via cabo de dados. Ainda há o suporte para acoplar o smartphone.

Os bancos dianteiros são esportivos, as costuras são vermelhas e os apoios de cabeça são integrados. As laterais das portas seguem a cor dos bancos, ou seja, preta. Os bancos são no mesmo padrão e para os passageiros do banco de trás e as saídas de ar são exclusivas com entrada USB.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo Avaliação: VW Virtus GTS Turbo Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, dimensões e capacidades

Em dimensões, o sedã esportivo VW Virtus GTS mantém as medidas do modelo convencional, sendo assim, o comprimento é de 4,5 m, a distância entre-eixos de 2,7 m e largura de 1,7 m. Com estas medidas o espaço para os ocupantes, tanto dos bancos dianteiros, como dos traseiros é excelente. Muito boa também a capacidade do porta-malas, no VW Virtus GTS, pois ele é de 521 litros, os bancos ainda permitem serem rebatatidos 60/40. E o tanque de combustível recebe até 52 litros.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

VW Virtus GTS, motor 1.4 Turbo, feito em São Carlos que é exportado para o México/ Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, motor e câmbio

O sedã esportivo VW Virtus GTS Turbo tem o motor 250 TSI, 1.4 L turbo, com injeção direta de combustível. Ele entrega 150 cv de potência e 25 kgfm de torque, sendo que tanto faz o combustível, etanol ou gasolina. O câmbio é automático de 6 marchas AQ 250 fornecido pela japonesa fabricante japonesa Aisin. È o mesmo utilizado em outros modelos da VW, como o Polo, Virtus, T-Cross, Nivus, o recém lançado VW Taos, porém, a configuração é esportiva, em relação aos modelos convencionais.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

VW Virtus GTS Turbo, só com o câmbio automático, ele oferece opção de trocas manuais / Foto: Saulo Mazzoni

Para quem gosta de trocar as marchas manualmente, o Virtus GTS tem as borboletas atrás do volante. Na alavanca as trocas são sequenciais. E a opção de câmbio manual convencional? Não tem!

Os mais puristas podem até pensar que então não é um legitimo esportivo. Neste caso vale lembrar que na F1, a maior e mais moderna categoria do automobilismo mundial, não utiliza câmbio manual convencional desde os anos 1990. Outra justificativa é a exigência dos consumidores, pois quem paga acima de R$70.000 em um carro, não quer o câmbio manual.

No Virtus GTS os freios são a discos nas quatro rodas, afinal carro que acelera rápido, também tem que parar com segurança e a direção utiliza assistência elétrica.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

VW Virtus GTS, funções de dirigibilidade acionadas pelo multimídia / Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, desempenho controlado

Igual ao VW Polo GTS Turbo, o VW Virtus GTS Turbo também oferece três modos de condução. O motorista pode optar entre os modos “normal”, “ecológico”, “esportivo” ou “individual”. Quando é selecionado o modo esportivo, um sistema eletrônico transfere o som do motor para a cabine. A direção com assistência elétrica fica mais firme e o câmbio também muda a passa a reagir de maneira diferenciada. Para completar os acertos ‘esportivos’ a suspensão dianteira do GTS utiliza uma barra estabilizadora com diâmetro 1 mm maior, e na traseira o eixo é mais rígido, isso em relação a versão convencional.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo/ Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, impressões ao dirigir

Ao ter o primeiro contato com o sedã esportivo VW Virtus GTS, o que chama atenção é o espaço no interior do carro e o bom gosto nos detalhes de acabamento. Ao sentar, o banco passa a impressão de que foi feito sob medida, pois ele ‘veste’ o motorista.

Não há dificuldades para ajustar o banco, volante e retrovisores e assim encontrar a posição ideal. Mas o motorista deve ter atenção e explorar as várias opções de grafia e informações a serem mostradas no painel. O melhor é navegar nos menus com o carro parado, assim irá entender e encontrar o que mais agrada.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

As opções da central multimídia podem ser acionadas por comando de voz e isso é uma tecnologia que auxilia a não perder a concentração. É possível trocar as estações de rádio, acionar o smartphone para ligações, entre outros. Para utilizá-lo basta pressionar o botão no volante e solicitar a mudança.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

VW Virtus GTS, configurador de visual do painel/ Foto: Saulo Mazzoni

No entanto, para quem gosta de um automóvel com reações rápidas, o VW Virtus GTS é uma ótima opção. Tem arranque rápido, com uma pequena pressão no acelerador ele sai da posição estacionária, mesmo na função Eco.

Ao acelerar o VW Virtus GTS, as mudanças de marchas são macias, não há trancos ou retardo. Para quem gosta de uma maior sensação de esportividade, no modo Sport é possível realizar as trocas manuais nas borboletas ao lado do volante e na alavanca. No modo Sport as mudanças ocorrem com o giro mais alto do motor. Mesmo no modo Eco ao realizar uma ultrapassagem, ou quando é necessário reduzir para na sequência retomar a aceleração, as respostas são rápidas sem aquela sensação de que está forçando o motor.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo / Foto: Saulo Mazzoni

A mudança na suspensão não deixou o sedã mais baixo, porém, não compromete a dirigibilidade e estabilidade inclusive na rodovia. Na velocidade média de 120 km/h é seguro, mesmo quando entra em curvas fechadas, ele não joga a traseira. E na cidade passa fácil por valetas, lombadas e asfalto ruim, sem os tradicionais chacoalho.

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo / Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, consumo de combustível

Bem, na sequência você pode perguntar: Qual o consumo do Virtus GTS? Pergunta natural, pois normalmente os modelos esportivos costumam consumir mais. O consumo do VW Virtus GTS abastecido com etanol é de 7,5 km/L na cidade e 9,6 km/L na estrada. Enquanto que, ao abastecer com gasolina o consumo é de 11 km/L na cidade e 13,7 km/L na estrada. O VW Virtus GTS emprestado pela Volkswagen para esta Avaliação foi entregue com o tanque abastecido com gasolina. Ele foi utilizado em situações cotidiana na cidade, como por exemplo, ir ao supermercado, alguns congestionamentos, vias com velocidade média de 50 km/h e a média obtida com o ar-condicionado ligado o consumo foi de  11,1 km/L na cidade e 12,3 km/L na estrada. O Virtus GTS acelera de 0 a 100 km/h em 8,7 s (E/G) e a velocidade máxima é de 210 km/h (E/G).

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, rodas de liga leve 17″ e faróis Full LED são itens de série / Foto: Saulo Mazzoni

Avaliação VW Virtus GTS Turbo: Preço, equipamentos de série e opcionais

O preço do VW Virtus GTS é de R$ 125.950. Entre os equipamentos de série traz o sistema Kessy de acesso ao veículo e partida do motor sem uso da chave, sensores de estacionamento dianteiros, traseiros e a câmera de ré para auxílio ao estacionamento. Para melhorar a eficiência e economia de combustível vem com o sistema Start/Stop, o qual desliga e liga o motor em paradas de semáforos, ou anda e para do trânsito. Outros acessórios tecnológicos para segurança e auxilio estão no pacote de itens como o detector de fadiga, retrovisor interno eletrônico, sensores de chuva e crepuscular e driver automático de velocidade (piloto automático).

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo, volante multifuncional, revestido em couro com as costuras vermelhas / Foto: Saulo Mazzoni

O VW Virtus GTS vem também com o assistente para partida em aclive/subida (HHC-Hill Hold Control), Sistema de alarme com comando remoto (Keyless), indicador de controle da pressão dos pneus e Post Collision Brake, quatro air bags (2 dianteiros com desativação do passageiro e 2 laterais para os ocupantes dianteiros), controle eletrônico de estabilidade (ESC), controle de tração (ASR) e bloqueio eletrônico do diferencial (EDS).

Os freios são a disco nas quatro rodas com ABS com EBD, ar-condicionado digital Climatronic com filtro de poeira e pólen. Até a versão 2021 o multimídia utilizado é o Discover Media, com tela colorida de 8 polegadas sensível ao toque. A partir da versão 2022 o multimídia é o VW Play com tela colorida de 10 polegads e App-Connect. E o volante é multifuncional com ajuste de altura e profundidade.

As cores disponíveis são: Preto sem custo e Branco Cristal, que custa R$ 490,00, ambas sólidas. E as opções metálicas, Prata Sirius, Cinza Platina e Azul Biscaia que custam de R$ 1.585,00.  Já entre os opcionais a VW oferece para o Virtus GTS Turbo o Pacote Rodas que custa R$ 1.700,00. Ele é composto por rodas de liga leve 18 polegadas e pneus 205/45 R18.

VW Gol GTS

VW Gol GTS, sonho de consumo nas décadas de 1980 e 1990 / Foto: Saulo Mazzoni

VW Gol GTS, referência em carro esportivo

A chegada do VW Polo GTS e Virtus GTS, ou seja a versão esportiva , aliás o Virtus é o único sedã VW no mundo que tem esta sigla, faz lembrar como ela surgiu no Brasil.

VW Gol GTS VW Gol GTS

Nas décadas de 1980 e 1990, o sonho de consumo do público jovem, os novinhos da época, era VW Gol GTS. Ele foi lançado em 1987, com para-choque preto, moldura protetora preta na lateral e aerofólio traseiro preto. Por dentro o volante de quatro bolas, bancos esportivos Recaro e alavanca de câmbio curta.

VW Gol GTS VW Gol GTS

O motor escolhido foi o1.8L AP com carburador de corpo duplo e potência declarada de 99 cv. O Gol GTS foi fabricado até 1994 e deixou saudades. Nos dias de hoje é um modelo raro que custa muito mais que um modelo zero-quilômetro.

Avaliação VW Virtus GTS Turbo

Quem precisa de um automóvel espaçoso, que ofereça conforto para os ocupantes do banco traseiro, com porta-malas grande, mas não abre mão do desempenho, tem o sedã VW Virtus GTS como opção.

Por: Edison Ragassi / Fotos: Saulo Mazzoni

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo

Avaliação: VW Virtus GTS Turbo / Foto: Saulo Mazzoni

Ficha técnica VW Virtus GTS

Motor: 1.4l TSI

Tipo: 4 cilindros em linha, transversal

Cilindrada: 1.395 cm³

Injeção de combustível: Direta na câmara de combustão

Potência: 150 cv (E/G) – 1.500/4.000 rpm

Torque: 25,5 kgfm (E/G) – 1.500/3.800 rpm

Tração: Dianteira

Câmbio: Automático, 6 marchas com conversor de torque

Suspensões

Dianteira: Independente McPherson

Traseira: Eixo interdependente

Freios

Dianteiros: Disco ventilado

Traseiros: Disco sólido

Rodas: Liga leve 17”

Pneus: 205/50 R17

Dimensões/ Capacidades

Comprimento: 4.492 mm

Distância entre-eixos: 2.649 mm

Largura: 1.751 mm

Altura: 1.476 mm

Porta-malas: 521 litros

Tanque de combustível: 52 litros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *